segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Tragédia - Frei Luís de Sousa (revisões)

  ALMEIDA GARRETT, FREI LUÍS DE SOUSA


Ø ACÇÃO TRÁGICA
Ø  Há um conflito, sem solução, entre o passado e o presente;
Ø  As personagens são arrastadas para a destruição; a força do destino é superior às suas forças

Ø ETAPAS/ELEMENTOS DA TRAGÉDIA
Ø  desafio a forças superiores/destino
Ø  pathos / sofrimento (primeiro em Madalena e Telmo, depois gradualmente em todas as personagens)
Ø  peripécia (incêndio do palácio e, sobretudo, regresso do Romeiro)
Ø  reconhecimento (descoberta da identidade do Romeiro) – ponto alto da acção = climax
Ø  catástrofe

Ø TEMPO 
-       A ação inicia-se numa fase muito adiantada dos acontecimentos, sendo o passado apresentado nas falas, em retrospetiva
-       Ex. 1º casamento de D. Madalena, com 17 anos; desaparecimento de D. João há 21 anos; procura de notícias durante 7 anos; casamento há 14 anos; nascimento de Maria há 13. (na Cena II do Ato I)
-       Há números/sinais especiais que marcam o tempo: o número 7; o número 3; a sexta-feira (cenas V, X, XIV, do ato I); a semana (intervalo entre Atos I e II); a noite v/s  o dia.

Ø LINGUAGEM  
- Marcada pelo uso do falar «natural e corrente», adequado, todavia, ao estatuto das personagens:
  • Vocabulário sóbrio, mas simples, não «pomposo» ou artificial;
  • Frases curtas – “Tens, filha” / “Não, Maria”; 
  • Expressões próprias do oral -“Está bom”; “Não: credo!” “Queres lá tu saber” “Bonito!” “Louquinha!” “Ora Deus to pague!”
  •  Repetições: “Veem, veem?” / “Não é isso, não é isso”
  • Suspensões/hesitações próximas da nossa forma de falar, traduzidas pelas reticências; expressam emoção, dúvida; muitas vezes associadas a repetições, a frases deixadas por acabar, a interjeições:
     …é que vos tenho lido nos olhos…Oh, que eu leio nos olhos, leio, leio!...e nas estrelas também – e sei coisas 


Os atores Raul de Carvalho (1901-1984) e Maria Dulce (1936-2010), 
como Manuel de Sousa e Maria de Noronha
-       Emotividade – traduzida por:

o   vocabulário, nomeadamente vocábulos relacionados com emoções, sentimentos (amor, desgraça, coração, suspirar...) e as interjeiçõesAh! Oh!  Credo  
o   pontuação : para além das reticências, as interrogações, as frases exclamativas: - A mãe já não chora, não? Já não se enfada comigo?    

-       Familiaridade -  o registo de língua dominante adequa-se à situação íntima, de diálogo afectivo entre os membros da família (incluindo Telmo):  ”Esposo da minha alma” “meu Telmo”, “Meu querido pai”, ”Ora pois, mana, ora pois!”

4 comentários:

Noémia Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Noémia Santos disse...

Esta síntese serve de apoio ao TPC. Mas as vossas respostas devem centrar-se nos exemplos das cenas analisadas

João Lopes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Noémia Santos disse...

Recebido. Obrigada.